jornalista1

PF prende casal e falso funcionário em aeroporto por tráfico de drogas

 A Polícia Federal prendeu três pessoas na noite de sexta-feira (20) por tráfico internacional de drogas no aeroporto de Guarulhos, na Grande São Paulo. Os agentes encontraram 72 quilos de cocaína pura em três malas.

A droga é avaliada em R$ 10 milhões. De acordo com a Polícia Federal, foram presos um casal e um falso funcionário terceirizado do aeroporto. Ele teria recebido a bagagem com destino a Salvador, na Bahia.

Veja também:
Decreto de quarentena afeta mais de 220 mil comerciantes
Coronavírus atinge metade de comitiva de Bolsonaro nos EUA

O objetivo da quadrilha, porém, era enviar a carga para Portugal. Para isso, a bagagem é colocada em uma esteira fora de uso na área de check-in. Em seguida, outro funcionário pegaria a mala e trocaria sua etiqueta pelo destino internacional.

Os agentes perceberam a movimentação suspeita e agiram antes da mala ser despachada. O falso funcionário foi detido no local e o casal foi localizado e preso próximo ao aeroporto – eles planejavam fugir de ônibus.

Esta foi a quarta apreensão de cocaína no Aeroporto Internacional de São Paulo neste ano, totalizando 200 quilos da droga tirados de circulação.

Fonte: METROJORNAL.COM.BR

Receita Federal apreende 766 quilos de cocaína no Porto de Paranaguá

 A Receita Federal realizou na manhã desta quinta-feira (19/3) apreensão de 766 quilos de cocaína no Porto de Paranaguá.

A carga teria como destino o porto de Le Havre na França. A droga estava oculta em meio a uma carga de madeira.

Esta é a sexta apreensão de cocaína no Porto de Paranaguá em 2020, totalizando 2.062 kg da droga.

Receita Federal informa que seguirá firme, com as devidas cautelas, na fiscalização aduaneira.

Fonte: BEMPARANA.COM.BR

PF cumpre mandados em MS contra grupo que levava cocaína à Bélgica

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade A Polícia Federal cumpre 33 ordens judiciais nesta terça-feira (17), em novo desdobramento da Operação Spectrum, denominada Operação Tifeu. São nove mandados de prisão temporária e 24 de busca e apreensão, executados em Mato Grosso do Sul, São Paulo, Paraná, Rondônia e Santa Catarina.

A ofensiva pretende desmantelar organização criminosa especializada em tráfico internacional de drogas e lavagem de dinheiro.

Segundo divulgou a PF, investigações deram conta de que estrangeiros integrantes do grupo vinham até o Brasil para, junto com criminosos locais, organizarem a remessa de cocaína pelo mar. A droga era enviada para a Bélgica em cargas de pedras.

Em cooperação policial internacional, carregamento de cocaína de duas toneladas foi apreendida no Porto de Gent, no país europeu.

O Campo Grande News apurou que foram feitas buscas em Dourados - a 230 quilômetros da Capital. A superintendência da PF em Mato Grosso do Sul não divulgou informações.

A reportagem procurou a Polícia Federal em São Paulo (SP) e Brasília (DF), mas não obteve resposta até a publicação da matéria.

Lavagem de dinheiro - Policiais descobriram, no decorrer das investigações, possível esquema de lavagem de dinheiro, e identificou empresas ligadas à organização. Segundo apurado, uma destas empresas movimentou pelo menos R$ 1 bilhão em quatro anos, com várias origens suspeitas.

A polícia ainda investiga vazamento de informações sigilosas por escrevente de cartório de notas para um dos investigados, o que pode ter atrapalhado as investigações.

Os investigados podem ser indiciados pelos crimes de tráfico internacional de drogas e associação para o tráfico, organização criminosa e lavagem de dinheiro.

Os presos serão levados às superintendências da Polícia Federal nos estados onde forem encontrados e ficarão à disposição da Justiça Federal.

Cabeça Branca - A Operação Tifeu é desdobramento das investigações que levaram à Operação Spectrum, que, em 2017 prendeu o traficante Luiz Carlos da Rocha, o “Cabeça Branca”, considerado um dos maiores traficantes da América do Sul.

O narcotraficante foi sócio de Jorge Rafaat Toumani e por muitos anos operou na fronteira do Brasil com o Paraguai em Mato Grosso do Sul.

Fonte: CAMPOGRANDENEWS.COM.BR

Aumento de apreensões de drogas sintéticas no Paraná chama a atenção da Polícia

 A Polícia Civil do Paraná (PCPR) apreendeu 14% a mais de drogas em operações da Divisão Estadual de Narcóticos em 2019 na comparação com o ano anterior. Enquanto em 2018 foram apreendidas 45,6 toneladas de entorpecentes, no ano passado o montante subiu para 52,2 toneladas.

Na lista de produtos ilícitos, o aumento na apreensão de ecstasy e outras drogas sintéticas foi o que mais chamou a atenção. Foram apreendidos 4.330 comprimidos de ecstasy no ano passado, enquanto que em 2018 foram 1.512 unidades, ou seja, aumento de 186%.

O delegado Ítalo Biancardi Neto conta que houve um esforço dos policiais para fechar o cerco contra o tráfico de drogas. “Houve empenho muito grande dos policiais e trabalho de integração com forças policiais e de inteligência de outros estados, como o do Mato Grosso do Sul”, disse.

Em relação ao aumento na apreensão de drogas sintéticas, o delegado afirma que há uma busca maior dos usuários por esse tipo de entorpecente, principalmente em festas. "Notamos que esse tipo de droga está cada vez mais no mercado em razão do aumento da demanda. Os usuários estão procurando, principalmente nas baladas ou raves”, explica. “Retirar esse tipo de entorpecente de circulação ataca diretamente o narcotráfico transnacional e os laboratórios clandestinos de drogas sintéticas”.

PRISÕES - O número de prisões também aumentou 24%, passando de 385 para 478 suspeitos presos em 2019. O número de mulheres presas subiu 49% - foram 64 em 2018 e 94 em 2019. O número de adolescentes apreendidos aumentou 133% no período. Ao todo, 14 adolescentes foram apreendidos em 2019, contra seis em 2018.

Segundo o delegado Ítalo Biancardi Neto, o aumento mulheres envolvidas em crimes têm influência masculina. “Normalmente os próprios maridos ou companheiros aliciam as mulheres para o narcotráfico, após eles mesmos serem presos pela prática de tráfico de drogas”, explica.

Já em relação aos adolescentes, o delegado diz que é cada vez mais frequente o aliciamento deles. “Isso se deve a vantagens que o próprio sistema penal oferece no tratamento dos jovens que ingressam na criminalidade, pela vulnerabilidade social e emocional em que se encontram, sem distinção de classes”.

APREENSÕES - O número de veículos apreendidos se manteve em 192. Já a apreensão de armas aumentou 81%. Os policiais civis apreenderam 54 pistolas, 21 revólveres, cinco espingardas, um fuzil e outras quatro armas diversas. A apreensão de veículos e armas traz consequências diretas às organizações criminosas, que ficam sem instrumentos para operar no transporte do produto ilícito.

Fonte: BEMPARANA

Polícia estoura base operacional do PCC na zona leste de São Paulo

 A Polícia Civil estourou ontem uma base operacional usada pela facção criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital)  na Vila Formosa (zona leste de SP). No local, foram apreendidos mais de 50 armas e 18 veículos e um homem foi preso.

Segundo as investigações, conduzidas pela  5ª Delegacia da Divisão de Investigações Sobre Crimes Contra o Patrimônio, o imóvel era utilizado para distribuir drogas e armamento.

Na operação que descobriu a base, foram recolhidos mais de 20 veículos, sendo 18 carros –alguns modelos de luxo–  e quatro motos, que eram usados no transporte dos entorpecentes.

Os policiais encontraram compartimentos secretos em alguns dos veículos que eram destinados ao armazenamento dessas substâncias.

A equipe apreendeu ainda três fuzis e outras 48 armas leves como pistolas e revólveres. Foram encontrados também coletes à prova de bala e máscaras.   

Fonte: METROJORNAL

Mais artigos...

vetenuo

bannerdisponivel

bannerdisponivel

bannerdisponivel

bannerdisponivel

Impakto nas Redes Sociais

                                   

 

blogimpakto  safestore1  smartseg 
universidadedotransito acervo        kennya6      alexandrejose    codigoeticajor    jornalismoinvestigativo

Desenvolvido por: ClauBarros Web