jornalista1

Presos de SP vão produzir 320 mil máscaras de proteção ao coronavírus, diz Doria

https://abrilexame.files.wordpress.com/2020/03/49694798052_52e0dbb64c_k.jpg Os detentos do sistema prisional de São Paulo passarão a partir desta quarta-feira (25) a fabricar máscaras para serem usadas na proteção ao coronavírus. O anúncio foi feito na tarde desta terça-feira (24) pelo governador João Doria durante coletiva de imprensa para anunciar novas medidas de contingenciamento.

“Deliberamos junto ao sistema prisional, comandado pelo coronel Nivaldo Restivo [secretário da SAP], que está aqui ao meu lado, a partir de amanhã aqueles que estão no sistema penitenciário vão produzir 320 mil máscaras de proteção contra o coronavírus. Serão 26 mil peças por dia nas fábricas adaptadas do sistema prisional de São Paulo, seguindo os critérios sanitários, os critérios de confecção para produção destas máscaras que terão um custo para o governo de São Paulo de R$ 0,80 por peça”, disse o governador.

As máscaras estão em falta desde o início do ano após a doença na China. O G1 antecipou, em janeiro, que os chineses e descendentes que moram no Brasil estavam comprando o material para enviar à China.

Perguntas sobre o coronavírus — Foto: Arte-G1

Perguntas sobre o coronavírus — Foto: Arte-G1

A Justiça de São Paulo proibiu, por meio de uma decisão liminar (provisória), a visita a presos de todas as 176 unidades prisionais do estado de São Paulo. A decisão pretende conter a proliferação do coronavírus entre agentes de segurança penitenciários, presos, visitantes e a população em geral.

A doutora Helena Santo, Coordenadora de Imunologia da Secretaria Estadual de Saúde de São Paulo, assume a coordenação do Centro de Contingência contra o Coronavírus, após David Uip contrair a doença e ter que ficar em isolamento. No entanto, o infectologista continua participando do grupo em reuniões pela internet. "“A doutora Helena assume hoje a sua responsabilidade como coordenadora do Centro de Contingência do COVID-19, em substituição ao dr. David Uip que está nos assistindo agora me casa envio um abraço afetuoso e a certeza da sua pronta recuperação, ele continua nos ajudando e apoiando a partir da sua residência”, afirmou.

Nesta segunda (23), o estado de São Paulo registrava 30 mortes provocadas pelo coronavírus. Todas as mortes aconteceram na cidade de São Paulo. Das oito novas mortes, seis são homens (33, 68, 75, 76, 77, 78 anos) e duas mulheres (80 e 88 anos).

Do total de óbitos, 27 aconteceram em hospitais privados e três em hospitais do SUS (Sistema Único de Saúde).

Doria aproveitou para informar que depois de mais de um ano fará, ao lado dos governadores do Sudeste, uma reunião com o presidente Jair Bolsonaro para discutir medidas de enfrentamento ao coronavírus. “Quero informar que amanhã às 9 horas da manhã, os governadores dos estados do Sudeste (Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro e São Paulo) estarão em reunião virtual com o presidente Jair Bolsonaro e seus ministros. Das 9h às 10h de amanhã quarta-feira."

“Há 15 meses que os governadores não têm nenhuma reunião nem virtual, nem presencial com o presidente da República”, relatou.

Nesta segunda (23), Bolsonaro se reunião com os governadores do Nordeste.

Hospital em Caraguatatuba

Doria anunciou que o Hospital de Caraguatatuba, no litoral Norte de São Paulo, será inaugurado na próxima segunda-feira (30). O valor do hospital foi de R$ 188 milhões.

“A Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo vai antecipar a abertura do Hospital de Caraguatatuba, no litoral norte de São Paulo. Esse hospital estará operando já a partir do próximo dia 30 de março, segunda-feira, a sua primeira etapa de Unidades de Terapia Intensiva, a segunda etapa dia 15 de abril.”

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), e o secretário estadual de Saúde testaram negativo para o novo coronavírus. Mais tarde, foi divulgado que o prefeito Bruno Covas (PSDB), que enfrenta um câncer, também não está com a doença. Nesta terça, Covas não terá compromissos oficiais. O resultado dos exames foi divulgado na manhã desta terça-feira (24).

Doria e José Henrique Germann realizaram o teste após o médico infectologista David Uip, 67 anos, coordenador do Centro de Contingência do Coronavírus do governo do estado de São Paulo, testar positivo para a doença nesta segunda-feira (23).

Com o resultado, Uip ficará em isolamento domiciliar pelos próximos 14 dias.

"São Paulo cria, a partir de quarta-feira (25), a rede corona de testes com capacidade para realizar 2 mil testes por dia. Testar, testar e testar. Essa é a orientação da Organização Mundial da Saúde", disse Doria.

Segundo o governador, a rede será composta por 17 laboratórios ligados à USP, com o apoio o Instituto Butantan.

Avenida Paulista, em São Paulo, com movimento baixo na manhã desta segunda-feira (23) — Foto: Marcelo Brandt/G1

Avenida Paulista, em São Paulo, com movimento baixo na manhã desta segunda-feira (23) — Foto: Marcelo Brandt/G1

Passa a valer nesta terça-feira (24) a quarentena nos 645 municípios do estado de São Paulo. Determinada pelo governador João Doria (PSDB), a medida obriga o fechamento do comércio e mantém os serviços essenciais, como as áreas de saúde, alimentação e segurança. A quarentena vai até 7 de abril, e pode ser estendida.

A quarentena visa conter o avanço do novo coronavírus em São Paulo. Até o último balanço da Secretaria de Saúde, o estado tinha 745 casos e 30 mortes.

Só ficarão abertos estabelecimentos com atendimento presencial que prestam serviços considerados essenciais. Os serviços de Segurança Pública, tanto estadual, quanto municipais, continuam funcionando normalmente. Os bancos e lotéricas também continuam abertos. As indústrias devem continuam operando, já que não têm atendimento ao público em geral.

Homem é visto na estação Pinheiros, em São Paulo, com pouco movimento na manhã desta segunda-feira (23) — Foto: Marcelo Brandt/G1

Homem é visto na estação Pinheiros, em São Paulo, com pouco movimento na manhã desta segunda-feira (23) — Foto: Marcelo Brandt/G1

Poderão continuar funcionando na quarentena:

  • Hospitais, clínicas, farmácias e clínicas odontológicas;
  • Transporte público, táxis e aplicativos de transporte;
  • Transportadoras e armazéns;
  • Empresas de telemarketing;
  • Petshops;
  • Deliverys;
  • Supermercados, mercados, açougues e padarias*;
  • Limpeza pública;
  • Bancas de jornais;
  • Bancos, lotéricas e correspondentes bancários;
  • Postos de combustível.

*padarias não poderão permitir o consumo no estabelecimento.

Centro de São Paulo é visto com pouco movimento na manhã desta segunda-feira (23) — Foto: Marcelo Brandt/G1

Centro de São Paulo é visto com pouco movimento na manhã desta segunda-feira (23) — Foto: Marcelo Brandt/G1

Terão de fechar as portas:

  • Comércio;
  • Bares;
  • Restaurantes;
  • Cafés;
  • Casas noturnas;
  • Shopping centers e galerias;
  • Academias e centros de ginástica;
  • Espaços para festas, casamentos, shows e eventos;
  • Escolas públicas ou privadas.

*Bares, cafés e restaurantes podem manter o funcionamento em sistema de delivery e/ou drive thru.

Ciclo do coronavírus  — Foto: Foto: Arte/G1

Fonte: G1.GLOBO.COM

Comentar

vetenuo

bannerdisponivel

bannerdisponivel

bannerdisponivel

bannerdisponivel

Impakto nas Redes Sociais

                                   

 

blogimpakto  acervo         jornalismoinvestigativo

Desenvolvido por: ClauBarros Web